fbpx

Redes sociais para crianças?

Instagram para crianças

Redes Sociais para crianças? Sim ou não? No passado mês de março, o Facebook, dono do Instagram, anunciou que estava a trabalhar num Instagram para crianças com menos de 13 anos. Sim, porque a política atual do Instagram proíbe crianças menores de 13 anos de usar o serviço.

“Estou animado em anunciar que, doravante, identificamos os jovens como uma prioridade para o Instagram e adicionamo-los à nossa lista de prioridades H1”, escreveu Vishal Shah, vice-presidente do Instagram, numa mensagem interna da empresa. “Estamos a construir um novo tópico dentro do Grupo de Produto da Comunidade centrado em duas coisas: (a) acelerar o nosso trabalho de integridade e privacidade para garantir a experiência mais segura possível para adolescentes e (b) construir uma versão do Instagram que permita às pessoas com menos de aos 13 anos usar o Instagram com segurança pela primeira vez.”

Anúncio da rede social Instagram for kids

Dado o progresso do projeto, um grupo de 40 procuradores-gerais dos EUA pediu, numa carta dirigida ao presidente-executivo do Facebook (FB.O), Mark Zuckerberg, que abandonasse os planos de lançar uma versão do Instagram para crianças menores de 13 anos.

“O uso das redes sociais pode ser prejudicial à saúde e ao bem-estar das crianças, que não estão equipadas para enfrentar os desafios de ter uma conta nas redes sociais”, lê-se na carta. “Além disso, o Facebook tem falhado historicamente em proteger o bem-estar das crianças nas suas plataformas”, acrescenta-se.

Vários observadores acreditam que uma plataforma dedicada a menores não impedirá que as crianças continuem a utilizar a versão reservada aos adultos, onde os riscos de assédio ou violência são maiores.

É neste contexto que Boris Johnson acaba de anunciar, no Reino Unido, um projeto de lei para penalizar as redes sociais que não protegem suficientemente as crianças online.

A ideia duma rede social para crianças não é nova.

Estão, aliás, disponíveis algumas redes sociais para crianças, dos 6 aos 13 anos.

Consideremos as mais relevantes.

A SPOTLITE centra-se na criação duma experiência social segura para crianças, pré-adolescentes e adolescentes. As crianças podem partilhar vídeos, fotos, reagir e comentar postagens de amigos e participar em grupos para partilhar com outras pessoas com interesses semelhantes.

O principal objetivo do aplicativo é ensinar pré-adolescentes e adolescentes a etiqueta da interação on-line. Tem lembretes constantes para manter as coisas positivas, como, por exemplo, a caixa de comentários que direciona os usuários a “deixar um comentário interessante”.

Todas as contas exigem que um dos pais ou responsável forneça a autenticação e aprovação de e-mail. Nenhum amigo pode ser adicionado até que um dos pais aprove a conta.

O Spotlite não rastreia nem vende nenhuma informação pessoal nem sequer a localização.

Os pais têm de aprovar o uso do Spotlite para menores de 13 anos.

Vídeos / fotos partilhados estão disponíveis para serem vistos apenas pelos amigos aceites.

Existem moderadores de conteúdo 24 horas por dia, 7 dias por semana. Qualquer conteúdo e/ou usuários inadequados são banidos.

Homepage da rede social Spotlite

PLAYKIDS é uma plataforma reconhecida internacionalmente com desenhos, livros e atividades para crianças dos 2 aos 8 anos. Com o aplicativo PlayKids Talk, as crianças podem aceder a atividades, jogos e conteúdo, como vídeos. Os pais também podem gerenciar os contatos dos filhos, autorizar o acesso à câmara e ao microfone.

Para configurar a conta da criança, os pais têm de certificar a idade. Os pais podem controlar todos os aspetos da conta da criança, como os contatos e o perfil.

Os pais também têm acesso à conta nos seus telefones, para “vigiar” o que está a ser partilhado em tempo real.

Início da rede social Playkids

A GOBUBBLE coloca as escolas no centro, permitindo que as crianças conversem, colaborem em projetos escolares, aprendam sobre novas culturas, desenvolvam amigos por correspondência, aprendam sobre o uso seguro das redes sociais e enviem mensagens aos pais.

A principal diferença em comparação com outros sites é que as escolas inscrevem os alunos, com a aprovação dos pais, em vez de as crianças se inscreverem a si mesmas.

Há uma equipa de moderação ao vivo que analisa as mensagens sinalizadas. Remove quaisquer imagens, texto, áudio, vídeo ou emojis inadequados. Permite anúncio grátis.

Devido aos recursos de segurança abrangentes, o site foi premiado com uma classificação PEGI 3 – a classificação de idade mais segura disponível pelo órgão regulador (Pan European Gaming Information). Todo o conteúdo (chat, foto e vídeo) é verificado antes de aparecer.

homepage da rede social Gobubble

O aplicativo KIDZWORLD é uma rede social infantil, privada e totalmente moderada, onde as crianças podem fazer novos amigos em fóruns, usar o messenger seguro para crianças para mensagens privadas, encontrar as últimas notícias seguras para crianças sobre suas celebridades adolescentes favoritas, jogar jogos divertidos e mais.

Existem moderadores de conteúdo.

Também existem filtros que localizam e removem qualquer conteúdo impróprio.

foto da rede social Kidzworlkd

GROM SOCIAL – Este aplicativo permite que as crianças conheçam outras crianças, conectando-se por meio de mensagens, criando vídeos, assistindo a eventos sociais e partilhando postagens.

As crianças da Grom TV podem difundir conteúdo de vídeo com curadoria segura. O aplicativo possui filtros para remover qualquer linguagem apropriada e abusiva. Requer verificação de e-mail dos pais para abrir conta. Os pais podem monitorar a atividade da criança com o aplicativo complementar MamaBear.

foto da rede social Grom Social

Como se verifica, todas estas plataformas sociais têm uma forte preocupação com a segurança online e a proteção das crianças. Dito isto, e se o Facebook, no seu projeto de Instagram para crianças, conseguir garantir a segurança e a proteção adequada e exigida, não vemos razões para que tal não seja possível. Ainda assim, compreendemos a postura dos procuradores norte-americanos e dos pais, uma vez que o Facebook nos tem brindado com múltiplas e recorrentes quebras de segurança. E, quando a segurança e a proteção são das crianças, não pode brincar-se.

WordPress
%d bloggers like this: